Vacinação prioritária: uma campanha pela VIDA

Desde o final do ano passado a FESOJUS-BR vem se mobilizando em busca da vacinação prioritária dos Oficiais de Justiça. Sendo inescusável que a linha de frente do poder judiciário se põe nas ruas todos os dias para dar efetividade às decisões judiciais e, com isso, se expõe à contaminação e disseminação da Covid-19, a federação encampou a busca pelo atendimento deste legítimo pleito.

Conforme matéria de 16/12 (veja aqui), recebemos o apoio do deputado federal e Oficial de Justiça, Ricardo Silva, encaminhando indicação ao Ministério da Saúde reforçando a justiça de nossa campanha.

Em continuidade aos trabalhos, já no final do mês de janeiro, os representantes da federação, João Batista e Luiz Arthur, mais uma vez se reuniram com os deputados Ricardo Silva e Sanderson, tratando da imperiosa prioridade. (veja aqui)

Os trabalhos realizados pela federação se baseiam na realidade das inúmeras vidas perdidas dentro de nossa categoria e afastados de qualquer sentimento menor, como vaidade. Nosso trabalho é sério e busca a preservação da vida dos Oficiais de Justiça, jurisdicionados, familiares, enfim, o bem comum.

Aos 24 de fevereiro, os mesmos representantes da federação estiveram em audiência com o senador Wellington Fagundes que sensibilizado com a questão também se alinhou na defesa da vacinação. (veja aqui)

No dia seguinte, 25 de fevereiro, João Batista e Luiz Arthur foram recebidos pelo Dr. Laurício Monteiro, representante do Ministério da Saúde, oportunidade na qual se dirigiram à categoria por meio de vídeo que pode ser acessado em nosso canal do Youtube.

Inobstante a lastimável tentativa de outra entidade em desmerecer o esforço e profissionalismo norteadores dos atos e decisões desta federação, comprovamos pelas palavras do próprio interlocutor do Ministério da Saúde a solicitação partida daquele órgão acerca de informações dos servidores Oficiais de Justiça, inclusive quanto ao Cadastro de Pessoas Físicas – CPF, com o claro intuito de agilizar o procedimento dentro do PNI – Programa Nacional de Imunização, cuja responsabilidade é única e exclusivamente pertencente àquele ministério. Ou seja, o adiantamento de informações e o respectivo cadastro junto às secretarias estaduais visa atender à orientação do próprio Ministério da Saúde.

Reiteramos aqui o nosso compromisso com a costumeira defesa dos interesses da categoria, sempre dentro dos princípios éticos e especialmente balizados pela verdade.

Sabemos que nossa luta não termina aqui e que muito ainda teremos que fazer para que ao final alcancemos a vacinação de toda a categoria que aguarda confiante o momento da chegada da sua oportunidade de imunização.

A informação é muito importante para que nos mantenhamos organizados e preparados para a tomada de decisões. Acompanhe as nossa notícias também em nosso Facebook e Instagram.

Juntos somos mais fortes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *