Setembro amarelo: precisamos conversar sobre saúde mental

O mês de setembro traz consigo a necessidade de se refletir acerca de nossa saúde mental. Neste mês, nacionalmente, se realiza a campanha de prevenção ao suicídio, originada em 2015. Mundialmente, desde 2003, o dia 10 de setembro é reconhecido como “Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio“. Costuma-se iluminar prédios e repartições públicas com a cor símbolo da campanha, o amarelo, para chamamento ao diálogo do sensível tema.

Precisamos reconhecer que se trata de uma questão de saúde pública que necessita de atenção e respeito.

Especialmente nós, Oficiais de Justiça, que lidamos com situações de estresse e extrema emoção, que vão de um ato de comunicação simples ao afastamento do lar conjugal de um pretenso agressor, ou ainda a retirada de crianças em condição de vulnerabilidade para a colocação em abrigos ou família substituta, ou ainda a realização de atos expropriatórios carregados de estresse, com risco à integridade física e até mesmo à vida, devemos, pois, avaliarmos o quão somos afetados pelas condições inerentes ao exercício da função e nos perguntarmos: como anda nossa saúde mental? como temos lidado com tais emoções?

Por se tratar de um tema muito íntimo muitas vezes aquele que padece do sofrimento não encontra amparo ou coragem para dialogar com os que lhe são próximos. Mas para isso existe o Centro de Valorização da Vida – CVV que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias. Conheça esse importante trabalho acessando https://www.cvv.org.br/

Lembre-se que procurar ajuda especializada pode reduzir em até 90% a incidência dos suicídios. Procure auxílio sempre que possível. A conscientização é fundamental!